sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

Um pouco do que é!

Sentar-se longamente, obervando o ritmo geralmente leve da noite, ouvindo música, trocando pareceres e impressões. Falar de música: compor, tocar, interpretar. Resgatar o passado sonoro. Duvidar, argumentar, repudiar. E no carro de portas abertas a música vai tocando, uma depois da outra, como ponteiros mágicos de um relógio, que, nesses caso, sempre andam rápido demais.
Lembrar de pessoas que o passado soterrou. Pensar que talvez estejamos soterrados no passado delas também. Dizer que se gostou de alguém, que se pensava ter amado alguém, e entender que éramos novos demais naquele tempo. Chorar amigos distantes, cuja lembrança impede que o tempo soterre. Sorrir amigos conquistados e que estão perto, ao alcance de um 'oi'.
Entender que Deus, sim; mas religião, provavelmente, não. Será que os deuses não eram mesmo astronautas?
Divertir-se com as conquistas emocionais fugazes e amargurar-se com as derrotas permanentes. Mas refletir: nenhuma perda merece sofrimento tão longo...
Caminhar até a Pedra Branca, mergulhar no Poço das Andorinhas, deveríamos pedalar juntos em todos os lugares. Ir a mais lugares.
Rir, rir, rir mais. Buscar clareza do que puder ser esclarecido, mudar o rumo se a direção for a escuridão. Perseguir o equilíbrio de forma obstinadamente equilibrada. Aceitar a paz, porque a paz está em torno de nós...

Um comentário:

  1. Reflexões ... "Remember"... pensamentos vagam, voam...muiito bom !

    ResponderExcluir